A principal lição do Novembro Azul

Novembro é tradicionalmente o mês de conscientização pela saúde do homem, especialmente no combate ao câncer de próstata – por isso é chamado Novembro Azul. Mesmo se concentrando em um dos doze meses do ano, a campanha traz uma importante lição que deve ser levada para todos os dias de nossas vidas. Ela tem a ver com cuidado e coerência.

Como surgiu a campanha Novembro Azul

O Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, aproveitando o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, que acontece no dia 17 deste mês. Naquele ano, um grupo de 30 homens resolveu se unir e deixar crescer o bigode, que era considerado fora de moda, para chamar a atenção para a saúde masculina.

Assim surgiu a Movember Foundation, organização sem fins lucrativos que tinha como objetivo arrecadar fundos para pesquisas e auxílio em geral no tratamento deste tipo de câncer e outros problemas de saúde mais frequentes em homens.

O apelo no Novembro Azul não é só direcionado aos homens, por isso mulheres são incentivadas a vestir a cor azul da campanha, que envolve toda a sociedade.  A mensagem é bem clara: não há qualquer tipo de constrangimento que justifique descuido com a saúde e os homens também precisam cuidar da sua.

Por que o câncer de próstata é o foco do Novembro Azul?

O câncer de próstata é o tipo mais comum da doença entre homens acima dos 50 anos e também o segundo que mais mata membros do sexo masculino no Brasil. Em nosso país, a cada meia hora morre um homem em decorrência da doença.

O problema é que a principal forma de diagnóstico precoce do câncer de próstata – 0 exame de toque retal (parte final do intestino grosso) – é alvo de preconceito e muitos homens não o realizam. Ele é recomendado principalmente a uma faixa etária mais elevada, a partir dos 45 anos, e sofre com “brincadeiras” de cunho homofóbico.

Por isso um dos focos do Novembro Azul é reverter este quadro, afinal seu resultado é muito perigoso para a saúde dos homens: as chances de cura em casos de diagnóstico precoce são de 80 a 90%, enquanto o câncer detectado mais tarde tem chances que giram em torno de 30%.

Além do exame de toque, é necessário um exame de sangue para detectar a quantidade de PSA (sigla em inglês para “antígenos específicos da próstata”) em circulação no corpo. Essa substância é produzida pela glândula mesmo quando saudável, mas apresenta maior concentração em caso de câncer. Na maioria dos casos, ele não substitui o exame de toque, são procedimentos complementares, que devem ser realizados anualmente seguindo orientações médicas.

Qual é a principal lição do Novembro Azul?

O preconceito pode matar, enquanto a consciência salva. Diversos órgãos de saúde já atestaram que, seguindo as recomendações, a partir da faixa etária indicada, a chance de falecimento do homem em razão do câncer de próstata cai vertiginosamente.

Contudo, pesquisa do Instituto Datafolha em 2017 mostra que grande parcela do público atingido não considera o exame de toque retal “coisa de homem”. É fundamental que façamos uso dos meios de comunicação e da internet para que nenhuma vida se perca em razão do preconceito. Saúde é coisa de homem, sim!

Para mais informações sobre saúde e autoestima, consulte os serviços do Instituto PERFACE, entre em contato conosco. Será um prazer lhe atender!  

Saiba mais sobre