Ginecomastia: o aumento das mamas em homens.

Você já ouviu falar de ginecomastia? Essa patologia não é rara em quem faz o uso de esteroides anabolizantes, e também em jovens na puberdade e é muito recorrente em pessoas que sofreram doenças que acarretam disfunções hormonais. A Drª. Bárbara Zilli, cirurgiã plástica do Instituto PERFACE, traz uma série de informações para você que notou um aumento das mamas e que não sabe o que fazer.

Primeiramente, precisamos entender que o metabolismo humano é bastante complexo e qualquer alteração em seu funcionamento pode nos acarretar problemas. Se o sistema hormonal está desregulado, uma das reações adversas em homens é a ginecomastia. Essa condição causa o aumento das glândulas mamárias, fazendo com que as mamas ampliem unilateral ou bilateralmente.

Causas da ginecomastia

As disfunções hormonais podem ocorrer em diferentes momentos da vida de um indivíduo e a ginecomastia pode ocorrer em pessoas de qualquer idade por causas fisiológicas, patológicas e medicamentosas.

Dentre as causas fisiológicas, podemos observar casos de ginecomastia em até 60% dos recém-nascidos pela exposição aos estrógenos maternos. Já na puberdade, pode ocorrer um desbalanço entre os níveis de estrógenos e testosterona e, nesse caso, costuma ser mais frequente em adolescentes de 14 anos e autolimitado, com duração de 1-2 anos. Diretamente relacionado à queda nos níveis de testosterona no organismo, a ginecomastia pode ocorrer em homens de meia-idade de 30 a 36% dos casos, aumentando essa proporção para 70% aos 70 anos.

Entre as causas de origem patológicas, podemos exemplificar a cirrose hepática, tumores testiculares, adrenais, hipofisários, pulmonares, entre outros. A obesidade também aumenta a incidência dessa condição pois existe a maior taxa de conversão de testosterona a estradiol causando o aumento da glândula mamária. Além disso, nos pacientes obesos, pode existir o componente importante do volume de tecido adiposo nas próprias mamas, o que alguns autores denominam de pseudo-ginecomastia.

Já as causas medicamentosas da ginecomastia são oriundas de efeitos colaterais de alguns medicamentos ou uso indevido de anabolizantes.

O uso de anabolizantes e a ginecomastia

Por mais que em jovens na puberdade essa condição possa ser fisiológica, temos observado um aumento de número de casos de ginecomastia medicamentosa em adolescentes e adultos jovens pelo uso de anabolizantes.

Sintomas da Ginecomastia

A ginecomastia, na maioria das vezes é assintomática e o que os pacientes notam em geral é o aumento das mamas, uni ou bilateral.

A ginecomastia pode causar importante repercussão emocional, limitando a socialização. Muitos indivíduos escondem a sua condição, deixando de frequentar lugares públicos e criam restrições quanto à intimidade.

Tratamentos para Ginecomastia

A primeira medida no tratamento é passar por uma ampla investigação clínica para que busquemos o diagnóstico e tratamento da causa da ginecomastia, tratando o paciente de forma global e diminuindo as chances de recidivas. Se necessário um procedimento cirúrgico, as técnicas possíveis dependem se o aumento da mama é glandular, por tecido adiposo ou por ambos e se existe excesso de pele ou não. O tempo de recuperação depende da técnica utilizada, mas varia de 1 a 3 meses.

Lembre-se que para evitar a ginecomastia você precisa de um ritmo metabólico natural e equilibrado. Portanto, evite o uso de anabolizantes e consulte regularmente o seu endocrinologista para avaliar as suas funções hormonais.

Quer tirar mais dúvidas sobre a ginecomastia? Entre em contato com o Instituto PERFACE e revele a sua saúde e beleza!

Saiba mais sobre