perface-fb-aJoão Luís Martins, Educador Físico do Instituto PERFACE – PERFACE Bem Estar, recentemente, o seu trabalho teve destaque na coluna 360 Graus de Jane Godoy, no Correio Braziliense.

Confira a matéria na íntegra.

Cursos internacionais sobre bem estar, nutrição, emagrecimento e atividades físicas fazem parte da rotina de João Luís Martins da Silva, Brasiliense de 42 anos, casado, investigador e especialista em comércio exterior, escolheu também ser guardião da saúde da terceira idade. Há oito anos, ele passou a “tomar conta” daqueles que querem envelhecer com dignidade. Assunto do momento, chegar à idade madura com qualidade de vida, destreza, flexibilidade, cheio de energia e alto astral são palavras de ordem para o bem viver.

“Os idosos precisam de uma atenção diferenciada, que requer conhecimento e carinho”. João Luís

Esportes aquáticos

João Luís escolheu trabalhar com esportes aquáticos, por acreditar que se encaixam na educação física de inclusão. Para tanto, abandonou o serviço público para se dedicar exclusivamente aos cuidados com a saúde de seus alunos. Fez três cursos de hidrobike (bicicleta dentro d’água) com o professor Navarro, antes de dar a primeira aula. Ele conta que sua vida esportiva começou aos 16 anos, no Juniors do Guará. “Aos 18, fui jogar em ligas profissionais nos Estados Unidos, onde permaneci por sete anos”, relembra.

Reciclagem

Há exatos oito anos e seis meses, João Luís anima a vida de seus alunos de meia-idade, com aulas embaladas por muita música, estímulo para que todos entrem no clima e passem a se sentir capazes de se exercitar e fortalecer a musculatura sem impacto. De três em três meses, ele busca atualização, sempre de olho nas novidades do mercado, seja em técnicas seja em equipamentos. Assistir às aulas dessa turma animada não só diverte, como também nos faz lembrar o quanto a prática de exercício é agregadora.

Pedalar dentro d’água

Com um grande número de alunos e sete aulas de hidrobike por dia, João Luís confessa que se encontrou na profissão que abraçou. “Estou convicto de que farei isso até o fim da minha vida. Meu sonho é criar um centro de excelência para idosos, com padrão internacional de qualidade”, revela. “O que mais me empolga é dar aulas para idosos, pois há uma diferença muito grande em relação ao público jovem. Entre a moçada, existe muita rotatividade. Eu prefiro a fidelização, o acompanhamento e os bons resultados obtidos com os idosos”, explica.

Progresso e recompensa

Ao passo que, entre os jovens, há uma sequência natural das coisas, a vitalidade e a força são próprias da faixa etária, entre os mais velhos, cada conquista, cada progresso e cada evolução são motivo de grande alegria e estímulo para continuar se empenhando, entendendo que é daquele convívio e da prática saudável de exercícios que se alcança a qualidade de vida tão esperada.

Saiba mais sobre