perface-fb-Após primeira aparição na mídia, a cantora Anitta tem sido constantemente criticada por quase não parecer com ela mesma antes da fama.

Em entrevista ao Fantástico, Anitta conta com mais detalhes que diminui os seios e consertou um erro que tinha no nariz, de uma cirurgia anterior. A redução dos seios, segundo ela, foi questão de saúde.

Anitta: Fiz com 18 anos.
Fantástico: E eles continuaram a crescer?
Anitta: Exatamente. Porque eu não deveria ter feito tão nova. Aí eu deixo um recado para todas as meninas. Não façam isso. Quando vocês pensarem em corrigir algum problema, com calma, pesquisa, vê direito que isso é muito sério. É importante. Mas eu sempre fui muito ansiosa. Eu queria fazer porque pesava demais. Era muito incômodo. Eu já fazia show com 18 e era muito incômodo.

Para o Instituto Perface, toda e qualquer cirurgia plástica estética deve ser realizada quando a paciente estiver amadurecida tanto do ponto de vista físico quanto psicológico. Principalmente em casos de cirurgias de nariz, nas quais há de fato uma mudança no aspecto da face mesmo que sutil e objetivando uma melhora. Cabe ao cirurgião ter o bom senso e ética de identificar esses fatores durante a consulta e orientar a paciente da forma mais correta possível, eventualmente adiando o procedimento cirúrgico para um momento mais oportuno.

Ressaltamos que é fundamental que haja entre o cirurgião e a paciente um total alinhamento entre as expectativas do paciente e aquilo que de fato o cirurgião pode fazer. Ter informações corretas a respeito do procedimento auxiliam na diminuição da ansiedade assim como na expectativa em relação ao resultado.

Ela ainda relatou que a cirurgia no nariz também foi um conserto.

“Eu descobri que meu nariz estava obstruído por conta da cirurgia anterior que não deu certo. E eu falei ‘aproveita e deixa ele bonito, que eu acho ele horroroso?’. E ele deixou e tirei pneuzinho. Agora eu não tenho mais defeito, agora acabou, nem a saúde, está tudo maravilhoso”, brinca.

A rinoplastia estética deve sempre estar associada a uma preocupação fundamental com a parte funcional. A parte estética e a parte funcional (respiratória) caminham juntas e não podem ser vistas de forma desmembrada.

Determinadas queixas em relação a estética nasal, podem em alguns casos ter relação direta com problemas respiratórios que devem ser abordados cirurgicamente. A não correção desses fatores, podem gerar piora do padrão respiratório no pós operatório e com isso, prejudicar muito a qualidade de vida do paciente.

É importante que ao escolher um profissional para realizar uma rinoplastia, o paciente procure um cirurgião plástico e/ou otorrino que estejam habituados a tratar de forma integrada e global os problemas nasais, sejam eles somente estéticos ou estético/funcionais.

Dr. Fernando Nakamura
Cirurgião Plástico
Diretor Técnico Médico
CRM-DF 17.858 / RQE 9333

Saiba mais sobre