O melhor horário para treinar: veja os fatores que ajudam nessa escolha
Qual o melhor horário para praticar atividades físicas e outros tipos de treinos?
A resposta para isso pode variar de acordo com a alimentação, horas de sono e disposição biológica de cada um. Todavia, os períodos da manhã, da tarde e da noite têm características próprias que auxiliam no rendimento do treino.
Estudos sugerem que o corpo realiza adaptações constantemente e conforme nos acostumamos com um determinado horário do dia, a performance tende a aumentar naquele horário – seja manhã, tarde ou noite. Pensando nisso, veja como nosso corpo pode ganhar ou perder vantagens em cada período do dia:

Treino matutino
Considerando que haja boas noites de sono e o costume de ingerir um café da manhã completo e balanceado, treinar de manhã garante mais disposição para o resto do dia por induzir a aceleração do metabolismo. Ao acordar, também temos a mente mais tranquila, o que facilita a concentração para focar nos resultados do treino. Além disso, o período da manhã é mais fresco, o que ajuda a diminuir o desgaste corporal.

Treino vespertino
É importante destacar que quem treina nesse horário deve dar o tempo suficiente para a digestão do almoço. Feito isso, durante a tarde, o corpo já está aquecido devido às atividades já realizadas desde a manhã, por isso fica mais fácil realizar o treino sem que o corpo pareça estar travado. A sonolência pós-almoço e a tensão das primeiras horas de trabalho podem ser amenizadas durante a atividade física a partir da aceleração do metabolismo e a descarga de energia. No entanto, é preciso ficar atento às altas temperaturas e aridez desse período, pois isso pode aumentar o desgaste corporal e diminuir o rendimento do treino.
Alguns estudos sugerem que o melhor período para treinar é o final da tarde porque o cortisol – hormônio que contribui para o catabolismo muscular – está elevado pela manhã. Esses mesmos estudos sugerem ainda que os picos de testosterona – hormônio que contribui para o anabolismo muscular – são liberados no final do turno vespertino. Em outras palavras, o ambiente hormonal do corpo está mais propício a gerar ganhos no fim da tarde do que pela manhã.

Treino noturno
Praticar atividades físicas durante a noite pode ser uma boa opção para descarregar o estresse do trabalho e para aqueles que querem treinar sem pressa e/ou livre de outras preocupações do dia-a-dia. O cansaço pós-treino pode ajudar pessoas mais agitadas a ter noites de sono mais tranquilas, mas, devido à liberação de endorfina durante a atividade, pode levar à noites mal dormidas pessoas que já apresentam quadros de insônia. Mesmo que a temperatura seja mais amena e ajude a melhorar o rendimento do treino, a falta de energia depois de um dia todo de trabalho pode diminuir o desempenho.

Atualmente, a maioria das academias funcionam das 6h às 23h, e abrem de domingo a domingo. Entretanto, o que deveria ser uma comodidade está se tornando uma “armadilha”. Isso porque, os alunos não estabelecem uma rotina e acabam deixando a atividade física em segundo plano. Outros compromissos acabam aparecendo e, ao término do dia, o exercício físico não é realizado.
As dicas são:

1. Organize-se e estabeleça os dias e horários de treino. Nenhum compromisso poderá ser mais importante do que o cuidado com a saúde.
2. Concilie a rotina de treino com a sua dieta alimentar. A união entre atividade física e alimentação pode gerar grandes resultados para quem deseja melhorar o rendimento e o resultado nos treinos.
Colocando isso em prática, será mais fácil obter o hábito e tornar-se fisicamente ativo. No entanto, apenas com uma análise profissional de rotina e alimentação será possível uma resposta exata de qual o melhor horário para se treinar. Fale com um personal trainer de confiança e melhore seus resultados.

Saiba mais sobre